Bem vindo ao Site Islam Brasil - O Islam no Brasil - Últimos Artigos: Como devemos saudar o mês do Ramadan? - A virtude do Ramadan é alcançada pelo jejum em todos os dias - Parecer sobre aquele que esquece de repor jejuns perdidos - Responsabilidades de uma esposa para com seus pais - A sabedoria por trás do oferecimento da oração - A sabedoria provinda da prescrição do zakaah - Jogos, entre o que é lícito e o que é ilícito - Condições das boas ações - Reflexão sob a visão do Islam - Como lidar com o vício das drogas? - Relações via Internet - Evidências para a validade do Islam - Razões detalhadas para o castigo no túmulo - Qual é o significado de Tawhid ? - Um recém convertido deve aprender todas as regras de uma só vez? -
Este site tem por objetivo divulgar o Islam, seguindo a Ahlus Sunnah wal Jama'a (Seguidores da Sunnah e a Comunidade), o Islam em sua mais pura forma, o Islam que foi ensinado pelo nosso querido Profeta Muhammad (s.a.w.s) e seguido pelos seus Nobres Companheiros (Sahaba).


Converter-se ao Islam
Se alguem tem o desejo de se tornar um Muculmano, basta pronunciar a “Shahada” saiba mais


Como praticar a Oração
Saiba como praticar a oração, a ablução, recitação do alcorão em árabe e o horário da salat. saiba mais


Profeta Mohammad
...,Não percas as descrições do seu caráter, (Que é) completo em todos os respeitos, saiba mais


Livros Islâmicos
Acesse a nossa biblioteca virtual onde você pode baixar livros islâmicos para leitura. saiba mais


Jesus, Profeta do Islam
Jesus é Muçulmano? Saiba tudo o que o Alcorão fala sobre Jesus, o Filho de Maria. saiba mais


O Islam no Brasil
O Islam esteve presente e
influente no Brasil desde o
início de sua história e
continua hoje... saiba mais


Convertidos ao Islam
Conheça a a história de brasileiros que se converteram ao islam... saiba mais


Perguntas e Respostas
Sinta-se à vontade para tirar todas suas dúvidas referente ao islam, alcorão saiba mais
Um Desafio Literário: “Apresente Algo Semelhante”
  Clique aqui para retornar às Categorias de Artigos
Descrição: O papel do estilo ao atender esse desafio corânico.
Por IslamToday.com
Publicado em 04 Jan 2009 - Última modificação em 07 Jan 2009

Visualizado: 1478 (média diária: 2) - Classificação: nenhum ainda - Classificado por: 0
Impresso: 116 - Enviado por email: 0 - Comentado em: 0

Categoria: Artigos > O Alcorão Sagrado > A Autenticidade e Preservação do Alcorão Sagrado
Categoria: Artigos > Evidência de que o Islã é a Verdade > A Autenticidade e Preservação do Alcorão Sagrado

Muitas pessoas não entendem o desafio literário do Alcorão para que se produza algo semelhante a ele. Supõem que significa simplesmente escrever algo tão “bom” quanto o Alcorão.

Por conta disso, muitos céticos destacam – corretamente – que julgamentos de valor literário são altamente subjetivos.  Se alguém diz que considera certa seleção de prosa ou poesia melhor do que o Alcorão, quem poderia argumentar com ele?  Trata-se realmente de uma questão de julgamento e gosto pessoais?  Quem seria o árbitro?

O desafio do Alcorão, entretanto, não é simplesmente escrever algo de mérito literário igual, mas produzir algo como o Alcorão.

Isso pode ser visto em todos os versículos de desafio.  Deus diz:

“Dize (Ó Muhammad) se a humanidade e os gênios se unissem para produzir algo como esse Alcorão, não o conseguiriam, mesmo se ajudassem uns aos outros.” (Alcorão 17:88)

Deus diz:

“Ou eles dizem: ‘Ele o forjou.’ Dize: ‘Pois bem, apresentais dez suratas forjadas, semelhantes às dele, e pedi (auxílio), para tanto, a quem possais, em vez de Deus, se estiverdes certos. Porém, se não fordes atendidos, sabei, então, que este (Alcorão) foi revelado com a anuência de Deus e que não há mais divindade além d’Ele.   Sereis, então, muçulmanos?.’” (Alcorão 11:13)

Deus diz:

“Ou eles dizem: ‘Ele o forjou.’ Dize: ‘Trazei um capítulo como esse e chamai, se puderes, outro senão Deus, se sois verídicos’” (Alcorão l0:38)

Deus diz:

“E se estais em dúvida acerca do que fizemos descer sobre Nosso servo, fazei vir uma surata igual a um único capítulo, e convocai vossas testemunhas ao invés de Deus se sois verídicos.” Mas se não o fizerdes – e não o fareis – guardai-vos do Fogo, cujo combustível são os homens e as pedras, preparado para os descrentes.” (Alcorão 2: 23-24)

Portanto, não é simplesmente uma questão de qualidade – não tem nem que ser de mérito igual! Semelhança é tudo que importa.  O que é exigido pelo desafio é alcançar pelo menos um nível comparável da beleza literária, nobreza e sublimidade do Alcorão enquanto que ao mesmo tempo imita o estilo particular do Alcorão.

É possível imitar superficialmente o estilo do Alcorão e muitas pessoas foram bem sucedidas ao fazê-lo – mas todas as tentativas desde os dias de Musailimah até o presente provaram ser tolas e absurdas e com freqüência invocaram risos e escárnio.  Esse é um consenso unânime de todos que ouviram ou leram essas tentativas.

Da mesma forma, é possível para uma pessoa que escreva em árabe alcançar um alto nível de excelência literária e, na mais comovente poesia e prosa, transmitir os pensamentos e sentimentos mais nobres – mas ninguém jamais fez isso usando o estilo particular do Alcorão.

E que estilo indefinível ele provou ser! O Alcorão não está nem em prosa árabe e nem no que é reconhecido como verso árabe.  Não está escrito em uma combinação de prosa e poesia, mas em nenhuma dessas formas.  É único.  Ao mesmo tempo, o Alcorão é internamente consistente na manutenção de seu estilo único.

Somente o Alcorão tem o mais alto nível de excelência literária – a ponto de levar as pessoas ao êxtase e às lágrimas – enquanto mantém esse estilo.

Este, então, é o teste difícil: escreva algo no mesmo estilo do Alcorão e ao fazê-lo produza algo de qualidade e sublimidade semelhante.

Ainda assim, pode-se argumentar que a avaliação dos resultados continua baseada em gostos literários subjetivos.  De acordo.  Entretanto, a segunda parte do desafio é trazer testemunhas para atestar a qualidade dessa avaliação, não apenas fazer a reivindicação.

Ao longo da história as pessoas têm tentado escrever no estilo do Alcorão.  Os resultados têm sido sempre tão risíveis que ninguém se aventuraria em dizer que acredita que seu esforço se equipara ao Alcorão em mérito literário.  A razão porque ninguém ousaria fazê-lo não é medo de represálias – como alguns céticos sugeriram – mas o medo de parecer um completo idiota.  Um dos primeiros exemplos foi:

Al-Feel

Mal-Feel

Wa maa adraaka mal-feel

Lahu dhanabun radheel, wa khurtoomun taweel

...que se traduz como:

O Elefante -

O que é o elefante?

E o que faria você entender o que é o elefante?

Ele tem um rabo áspero e uma tromba muito comprida.

Podemos garantir que essa é uma tentativa bem sucedida de imitar o estilo superficial do Alcorão.  Está claramente moldada nos versos de abertura da surata al-Qariah ou Surata al-Haaqqah.  Entretanto, com esse modelo, não é surpresa que as pessoas não estejam dispostas a colocar sua reputação em risco para atestar sua excelência literária.

Devemos fazer uma pausa para considerar: que outro estilo literário produziu um grande trabalho literário indisputável e, ao mesmo tempo, com certeza causará o mais fragoroso fracasso a qualquer um que tente experimentá-lo?

Geralmente não é uma má idéia um escrito imitar um estilo bem sucedido.  Entretanto, um desafio para produzir um único capítulo como o Alcorão – o capítulo mais curto tendo apenas três versículos de extensão moderada – se mostrou impossível de ser satisfeito.

Devemos lembrar que nem todos os que falam árabe são muçulmanos.  Muitos são cristãos e judeus.  Alguns são ateus.  Vivem em todas as partes do mundo.  Entre todos esses não-muçulmanos árabes, existem poetas e escritores de prosa de destaque e importante críticos literários.  Nenhum deles reivindica que eles ou alguma outra pessoa tenha produzido um trabalho literário que se assemelhe ao Alcorão, tanto no estilo quanto na qualidade.

Para alguém que fala árabe, isso é uma coisa óbvia.  Qualquer árabe que olhe para as tentativas das pessoas de escreverem no estilo do Alcorão geralmente cai na gargalhada por conta de sua inabilidade ou banalidade.

Os que não falam árabe, embora não possam ter essa experiência diretamente, podem averiguar que nenhuma reivindicação literária séria foi feita.

Com certeza, existe subjetividade em qualquer avaliação literária.  Isso seria um problema em um desafio com um único juiz ou um grupo de juízes, ou se houvesse um critério tendencioso como “apenas sábios muçulmanos podem ser juízes”.

Entretanto, não há tal restrição no desafio.

O consenso geral da comunidade literária internacional árabe – e das massas árabes – é de que não existe nada que satisfaça o desafio.  Isso é um padrão objetivo de avaliação.

veja a materia original: http://www.islamreligion.com/pt/articles/651/

bullet.gif Enviado por admin em 08/01/2011 ·915 Leituras · Imprimir · ·

Hierarquia do Artigo:
Artigos O Alcorão Sagrado Um Desafio Literário: “Apresente Algo Semelhante”


Navegação de Artigos:

<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>
Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML


Ouça o Alcorão
Agora você já pode escutar em nosso site "O Nobre Alcorão e seus Significados em Português"saiba mais


Leia o Alcorão
Agora além de poder ouvir a
bela recitação do Alcorão,
você também pode ler o Alcorão Sagrado. saiba mais


Du'as - Súplicas
Aprenda como recitar de maneira correta os du'as (suplicas) em arabe, saiba mais


Riadhus-Salihin
Já está disponível gratuitamente para baixar em nosso site o Livro Riadhus-Salihin. saiba mais


Civilização Islâmica
Dentro de poucos anos do crescimento do Islam no mundo, grandes civilizações floresceram saiba mais


A Mulher no Islam
Na época em que o Mundo estava envolvido em trevas, e entregue a ignorância, a revelação... saiba mais


As Relações Íntimas
Conheça a Visão Islâmica sobre as Relações Íntimas e a Sexualidade em geral. saiba mais


Divulga Islam
Somos um grupo de muçulmanos brasileiros que trabalha com a divulgação do islam saiba mais
     
 

É necessário utilizar o Firefox para este site

Site Islam Brasil - O Islam no Brasil © 2009-2021

Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2021 by Nick Jones.
Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3

Os materiais postados neste site não refletem necessariamente as visões do Grupo Divulga Islam, o qual não reivindica responsabilidade sobre os artigos contidos neste site, sendo os mesmos de responsabilidade dos seus escritores.

site desenvolvido por www.wsdbrasil.com.br

 
voltar ao topo